Decida crescer e se desenvolver

Todo ser vivo que não cresce está com algum problema de saúde. O natural é o desenvolvimento e, com o crescimento, mudanças de fases. A vida atravessa ciclos do nascer, crescer, amadurecer, reproduzir, envelhecer e morrer, e cada fase é especial. A vida é feita de estações. Na vida humana, por exemplo, a fase infantil e adulta são bem distintas em muitos sentidos, cada uma com sua peculiaridade. Quando éramos crianças, nossos pais e adultos responsáveis faziam muitas escolhas por nós. Quando crescemos, contudo, passamos a ser responsáveis por nossas decisões. No entanto, talvez você conheça alguns adultos que insistem em continuar vivendo como adolescentes, sem encarar o peso de suas responsabilidades. Algo está errado neste cenário.

Há pessoas que saem da faculdade, mas a faculdade não sai delas. Não entendem que o ambiente profissional é bem diferente do estudantil e insistem em tentar viver no mercado de trabalho com 30 anos de idade a experiência que tiveram aos 20 como universitários. Quem decide não crescer, eventualmente fará escolhas erradas no âmbito relacional, afetivo e profissional.

Cada fase tem seus dilemas, problemas e belezas, assim, desfrute do melhor dela e se relacione com pessoas que agregarão algo a você neste tempo. Saiba viver com sabedoria cada estação; se você não tem, peça a Deus, como o Rei Davi fez. Assim, você viverá e terminará bem os dias na terra, em todos os ciclos da vida, concluindo sua jornada de forma positiva e morrendo em boa velhice.

A sociedade pós-moderna com seus gritos de “orfandade espiritual” e independência precoce tem levado muitos a perder partes boas da sua estação de vida. Há muita gente confusa e perturbada emocionalmente, que entra em brigas que não são deles. Aproveite as oportunidades desta vida maravilhosa que o Criador nos deu, com coisas fantásticas para descobrir e desfrutar, seguindo o conselho de Paulo: “Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como insensatos, mas como sábios, aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus” (Efésios 5:15,16). Você está vivendo como sábio ou tolo? Em muitos casos é melhor ficar quieto e pessoas pensarem que você não sabe de nada, do que sair falando demais e as pessoas terem certeza disso!

A sua vida é um presente lindo, porém frágil e passageiro. É como a neblina que logo vai embora, como dizem as Escrituras. O mestre Albert Einstein disse: “Sua vida é única e Deus não joga dados”. Pense bem e decida crescer para frutificar, de forma que o seu melhor esteja por vir. O que hoje está ruim pode melhorar, porém, se você não decidir crescer, o que está ruim hoje, pode piorar amanhã. Como você está vivendo sua única vida?.

Uma São José para o Brasil

Como você vê a cidade de São José dos Campos? Resido aqui desde 1997, quando me mudei com minha família do Sul para esta cidade. Não nasci aqui, mas me tornei cidadão joseense por título honorário da Câmara em 2012, o qual muito me honra. A cidade cresceu a olhos vistos em todos os sentidos. Amo viver aqui, e você?

A igreja onde sirvo como pastor líder cresceu com a cidade, passando de 620 membros em 1997 para mais de 13.000 membros residentes na cidade. A igreja tem 8 campi, desde o Jardim Primavera na Zona Leste, ao Jardim Imperial na Zona Sul, além de outros campi nas zonas Oeste, Centro-Oeste e Central. Chegaram com o crescimento organizações de serviços e apoio à nossa população, como a ABAP, a Rádio Cidade, a Casa Sol, o Colégio Inspire a Cidade Sports e, brevemente, a Faculdade Cristã da Cidade. Apoiamos os serviços de entidades como o GAAC, GAIA e Associação Ágape. A Igreja da Cidade realiza muitos serviços e eventos que inspiram a cidade, como o Auto de Páscoa, que reuniu em sua última edição 39 mil pessoas no Campus Colina da Igreja e 2.000 voluntários. O Auto, maior espetáculo indoor do país de seu tipo, distribuiu mais de 30 toneladas de alimentos para 18 organizações sociais católicas, espíritas e evangélicas da região.

Andando pelas ruas de São José nessa semana, pensava sobre o futuro desta importante cidade. Como estaremos daqui a 10 anos? Na semana passada, realizou-se em nossa cidade a 18ª edição da conferência de liderança Inspire Brasil, com 2.460 participantes de todas capitais do Brasil. Quase todos comentam como a nossa cidade é bonita e organizada. Talvez você também já tenha ouvido essa fala frequente. Por outro lado, sofremos os efeitos da nossa economia brasileira e problemas sociais nacionais, como o desemprego, a violência e a corrupção. Ainda assim, penso como seria bom se houvesse uma São José dos Campos para cada dos quase 6 mil municípios do Brasileiros.

Infelizmente, há pessoas negativas que enxergam a partir da sua única perspectiva pessoal e não enxergam o quanto de bom temos em nosso estado, Vale e, em particular, em nossa cidade com um todo. Oro para que nosso prefeito Felício Ramuth continue fazendo uma boa gestão em nossa cidade, juntamente com toda sua equipe de governo; que os vereadores façam seu papel de fiscalizar e legislar por uma cidade melhor para todos; e oro também para que cada cidadão, empresário, servidor e trabalhador em geral trabalhe por uma cidade melhor.

Se juntos estivermos unidos, ajudando o próximo e servindo aos que mais precisam, avançaremos ainda mais e inspiraremos o Brasil. Não é fácil, mas é possível. Com a benção de Deus e a unidade das pessoas, podemos ir mais longe..

Você é uma pessoa de fé?

Você é uma pessoa de fé? Em quem você ou que você confia? Onde você deposita sua fé? Como humanos, somos formados de matéria, como dizem as Escrituras Sagradas, “o pó volte à terra, de onde veio, e o espírito volte a Deus, que o deu” (Eclesiastes 12:7). Temos composição química do corpo, mas somos também seres que recebem alma com sentimentos e lugar de habitação do Espírito Santo de Deus, mediante a fé em Jesus Cristo. Na verdade, não creio que somos seres que possam vir a ter uma experiência espiritual, mas que somos espirituais que receberam de Deus a oportunidade de uma breve experiência humana.

Conscientemente ou não, você vive de fé todos os dias. Como você entra em um avião para chegar a um destino? Porque crê que ele é seguro. Você confia no piloto sem mesmo vê-lo, como também nos equipamentos. Você pode não perceber, mas todos os dias toma decisões de fé. Está escrito: “Assim diz o Senhor: Maldito é o homem que confia nos homens, que faz da humanidade mortal a sua força, mas cujo coração se afasta do Senhor. Mas bendito é o homem cuja confiança está no Senhor, cuja confiança nele está. Ele será como uma árvore plantada junto às águas e que estende as suas raízes para o ribeiro. Ela não temerá quando chegar o calor, porque as suas folhas estão sempre verdes; não ficará ansiosa no ano da seca nem deixará de dar fruto” (Jeremias 17.5-8).

Confiança, alguns dizem, é “a fé que se deposita em alguém ou em algo”, outros, que é “a coragem proveniente da convicção no próprio valor ou no valor de outrem”. Sobreviver sem algum tipo de confiança é praticamente impossível. O homem é o centro de nossa sociedade atual – e muitas vezes tem se mostrado falho em suas técnicas e maneiras de fazer as coisas. Ainda assim, grande parte da humanidade insiste em confiar apenas em si mesma, ou em um grupo de pessoas, empresas e instituições criadas pelo homem que tenham algum tipo de proteção.

O profeta Jeremias escreve a uma sociedade parecida com a nossa, o povo de Judá que confiava apenas em si mesmo ou em ídolos vazios que nada podiam fazer.

No entanto, não é expressa somente condenação, mas, sobretudo, amor, misericórdia e compaixão. Bendito será aquele que permanece, espera, crê confia e ousar em nome do Senhor. Ele será forte, suprido e fortificado, não receará o mal, nem deixará de dar frutos. É ciente de quem Deus é e de tudo o que faz. Vive tranquilo, habita em segurança, pois sua segurança vem do alto. Sabe do serviço que deve ser feito e de sua importância nele.

De acordo com B. B. Warfield “O cristianismo não é meramente um programa de conduta; é o poder de uma nova vida”. Que jamais confiemos apenas em nós mesmos, em nossa formação, capacitação intelectual ou em nossos bens. Que o Senhor gere em cada um de nós confiança completa e integral Nele. Ele é a vida, o sustento de tudo, a rocha segura para construir nossas vidas. Tenha uma fé consciente e deposite em Deus, através da Bíblia Sagrada, suas decisões de fé diariamente. Você poderá perceber que sua vida será mais cheia de paz, estável e com sentido..

Solitude interior x barulhos do mundo

Você não precisa necessariamente estar isolado do mundo e das pessoas para ter paz interior, isto chama-se isolamento e não solitude. Não tem a ver com ser introvertido ou extrovertido; isto tem a ver com personalidade. Também não tem a ver com morar no interior ou na cidade; tem mais a ver com suas escolhas de vida, decisões do coração e suas atitudes diante dos fatos da vida.

Precisamos e podemos, mesmo em meio a agitação da cidade, trabalho, estudos, tomadas de decisões, agenda cheia de compromissos e cercado de muitas pessoas, desenvolver e viver uma vida de paz interior, é possível. A paz de espírito, a solitude e a serenidade, são as principais bases para que o ser humano seja feliz nestes dias tão exaustivos que temos vivido, elas nos ajudam a preservar a sanidade em dias de tantas pessoas doentes da alma e das emoções. O fato é que todos podemos e devemos viver em paz, especialmente nós que vivemos no contexto urbano e na cultura do mundo fábrica, onde tem-se ocasionado uma imensa realidade de pessoas ansiosas e depressivas, muitos com pensamentos suicidas, diversas síndromes e bipolaridades.

Todos nós precisamos cuidar bem das nossas emoções, e quanto mais rápido, melhor. Desde cedo o grau de respostas adaptativas é maior.

Contudo, o que fazer para melhorar nossa qualidade de vida segundo a orientação bíblica?

Coloque em sua mente somente o que possa ajudá-lo realmente a viver em paz, com atitudes positivas. No momento em que vier algo ruim a sua mente, alguma “voz” dizendo que você é incapaz e que você não tem condição, rebata esse sentimento de baixa autoestima com outro, mediante a sua razão. Não é seu sentimento que deve controlar você, quem controla seu sentimento é você. A Bíblia diz que o coração do homem é enganoso. Quando a Bíblia diz à respeito do coração, está dizendo que o que você sente pode ser passageiro, volúvel e irreal. Então treine esse mecanismo, rebata seu pensamento com outro, seja bom nisso. Não fique achando que isso soa como falso, pois não é. Você pode também rebater seus pensamentos negativos com conselhos bíblicos motivadores, como: “Quero trazer à memória o que me pode dar esperança” (Lamentações 3:21).

Seu mundo exterior pode estar em confusão, guerra e conflito, todavia, seu mundo interior é Jesus, e Nele você encontra completa paz de espírito. Caso você esteja atravessando uma crise emocional, não se isole, busque ajuda profissional, desenvolva fé em Deus, cerque-se de pessoas saudáveis e cheias de fé. Viva em paz, a paz de Deus!.

O perigo das polarizações

Extremos são perigosos! Acredito que saúde e segurança vêm do equilíbrio. Não há batalhas ganhas sem estratégias sábias e equilibradas. Atitudes polarizadas são como os extremos de uma ferradura: acabam encontrando-se no mesmo lugar. Um avião só voa porque é sustentado pelo equilíbrio das asas, assim como o corpo humano só vive com sistemas equilibrados. Atitudes extremas preocupam-me, mesmo que tenham boas intenções.

Quando era adolescente, ouvia muito dos adultos: “Política, religião e futebol não se discute!”. Cada um tinha o seu e pronto. Com o passar do tempo, vimos que não é bem assim. Os três assuntos passaram ao centro das discussões da sociedade, seja na família, escola, faculdade, rodas de conversas, bares e entrevistas de rádio e TV. Com a liberdade de imprensa, a sociedade foi evoluindo e se acostumando a discutir pontos de vistas diferentes e pautas das mais variadas, de comportamento à política. Mesmo temas mais passionais como futebol, política e religião passaram a ser amplamente discutidos e explorados. Isso de fato é muito bom, porque onde existe liberdade, pluralidade de ideias, diálogo e ponderações, a sociedade como um todo sempre sai ganhando. Como diz o princípio bíblico, são nos múltiplos conselhos que a sabedoria se estabelece.

A chegada da internet, naturalmente, trouxe muitos ganhos para a sociedade global, incluindo a economia de tempo, energia e distâncias e mais conhecimento para todos. No entanto, também deixou efeitos colaterais. Um deles foi que as discussões se tornaram mais ácidas, maldosas e até cruéis. Em minha opinião, muitas pessoas começam a expor ódio, preconceitos e julgamentos escondidos sob o anonimato de seus perfis, até mesmo “fake”, dizendo do que jamais falariam na exposição de seus nomes reais.

Na política brasileira, mudam os governos e a tensão continua. Com o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, os ânimos exaltaram-se. A ascensão de Temer aliviou em parte a tensão até as eleições, que depois acirrou ainda mais. Nossa sociedade está ainda mais polarizada e com muitos desgastes relacionais. Temos a tensão política direita X esquerda; a social, conservadora X liberal; a econômica de livre mercado X controle estatal. Será mesmo que precisamos viver neste dualismo? Acredito que parte da mídia está aumentando este clima e não contribuindo como poderiam para unir os brasileiros. Continuo acreditando que o melhor caminho para a sanidade e o progresso estão no equilíbrio e no diálogo. Eu penso que governo, oposição, justiça, impressa, igrejas e sociedade civil em geral, todos temos que fazer nossa parte para unir os brasileiros em todo do melhor para o Brasil..

A tragédia de Notre-Dame e a vitalidade da fé cristã

Nesta segunda-feira da Semana Santa, todo o mundo ficou chocado com a notícia do trágico incêndio na Catedral de Notre-Dame em Paris. Essa não foi somente uma perda para os católicos franceses, para todo o Cristianismo, para a História e memória da humanidade. Mais que um belo templo cristão, era um símbolo de paz e unidade. A tragédia, contudo, traz uma metáfora para nós. Estamos na Semana Santa, maior data da fé cristã, quando refletimos sobre a morte e ressurreição de nosso Salvador e Senhor Jesus Cristo, que por seu sacrifício vicário na cruz, fez-se pecado por nós pecadores, trazendo-nos redenção. A morte não foi o fim, mas o início. Porque Ele ressuscitou e o túmulo está vazio, o Cristianismo tem em sua essência o renovo, a esperança e a resiliência, a vida a despeito da morte.

A Notre-Dame de mais 800 anos de legado não sucumbirá nas cinzas, mas será renovada. A causa tem movido à Unesco, o governo francês, milionários, turistas e o povo francês em geral. Ela florescerá, ainda mais forte e segura, inspirando milhões por muitos séculos, até a volta do Senhor Jesus, quando, aí sim, todos os templos católicos, ortodoxos, protestantes, novos ou antigos, perderão sua utilidade e chegarão ao fim. Até lá, a despeito de tudo, os templos resistirão ou serão reconstruídos.

Ao longo da história, o cristianismo tem sofrido perseguições e tragédias. Sob a espada romana, ele surgiu em Israel e se espalhou pelo mundo, não sem o rastro de sangue de mártires da fé, missionários e cristãos católicos e evangélicos, que deram a vida pelas Boas Novas de Cristo ao mundo. Ainda hoje, cristãos são perseguidos e mortos por sua fé, em especial na África, Oriente Médio e Ásia. Mas, como Jesus venceu, cada cristão também segue vencendo. Se templos e corpos mortais são destruídos, tornam-se adubos para que novos sejam levantados para pregar a fé, a esperança e o amor.

Embora, segundo avaliações iniciais, o incêndio no telhado da Notre-Dame tenha sido acidental, inúmeros outros não foram. Grandes e belas igrejas católicas têm sido incendiadas em toda a Europa nos últimos meses por intolerantes. Eles atacam não apenas um templo, mas uma visão e uma cultura sobre as quais as edificações foram construídas, ao longo de séculos de liberdade, igualdade e fraternidade, mas também de fé, esperança, amor e justiça. Valores que são herança do cristianismo, base para todas as nações ocidentais, e que estão sob ataque. No entanto, como outras “Notre Dames” do passado, eles não sucumbirão, mas renascerão em sua mensagem de esperança.

Feliz Domingo de Páscoa! Ele vive e reina dentro de cada um de nós, mesmo que igrejas e catedrais sejam destruídas, como Cristo, em um domingo de manhã, há a notícia do reviver. A fé sempre renasce, a luz sempre prevalece diante das trevas. Com Jesus, o bem sempre vence o mal, não pelas armas, mas pela força da fé e do amor!.

As sete últimas palavras da Cruz para sua vida hoje!

Depois de preso e açoitado pelos soldados romanos, Jesus foi condenado à morte por crucificação por Pôncio Pilatos, sob as intrigas dos fariseus judeus. No dia seguinte, iniciou a Via Dolorosa pelas estreitas vias de Jerusalém até o Monte da Caveira, fora dos portões da cidadepara que todos pudessem ver, conforme costume do império para amedrontar criminosos.Ao terminar o percurso cruel, Jesus é levantado ao madeiro às 9 horas da manhã, ficando ali exposto até às 15 horas da tarde. Lá estava o Filho de Deus, salvador da humanidade, que se fez como um de nós e pelo Seu sangue nos redimiu. Ao ser levantado no madeiro, Jesus portava uma coroa de espinhos e uma cruz que não eram Dele, mas nossas. Durante as horas de sofrimento na Cruz, Ele pronunciou Suas 7 últimas palavras na Terra. 21 séculos depois, continuam palavras poderosas para nós, nestes dias conturbados da pós-modernidade.


A primeira delas foi: “Pai, perdoai-os porque eles não sabem o que fazem” (Lucas 23:34),uma palavra sobre perdão. Todos precisamos receber perdão pelos nossos pecados, intencionais ou não. Porque você precisa de perdão? Porque você precisará perdoar, e ninguém pode dar o que não possui. Todos precisamos do perdão de Jesus de Nazaré; então, como você foi perdoado, perdoe.

A segunda palavra da cruz é: “Em verdade eu te digo hoje estarás comigo no Paraíso” (Lucas 23:43),uma palavra de redenção. Somente um dos dois ladrões crucificados demonstrou arrependimento e buscou a redenção. A tradição da igreja afirma que seu nome foi Dimas, mas não sabemos de fato. Este homem recebeu nas últimas palavras de Cristo na Terra a redenção.

A terceira palavra foi: “Mulher’ Eis aí o seu filho…Então disse ao discípulo: Eis aí tua mãe… “ (João 19:26-27), uma palavra de relacionamento, de encontro e de discipulado. Jesus termina Seu trabalho na Terra, mas Ele deseja estabelecer uma igreja unida pelo vínculo de Sua Palavra e Presença. A fé em Cristo não é, em essência, uma proposta de religião, mas de relacionamento.

A quarta palavra foi: “Deus, meu Deus, por que me abandonaste?” (Mateus 27:46 e Marcos 15:34), uma palavra de solidão. Jesus foi abandonado para que você pudesse ser acolhido, amado e aceito. Quem já não se sentiu sozinho neste mundo? Hoje, podemos até sentir solidão, mas nunca viveremos o abandono, pois Jesus fez isso por nós e nos acolheu.

“Tenho sede” (João 19:28) foi a quinta palavra e ela nos remete à dor. Ela mostra a natureza humana de Jesus. Não foi uma reclamação ou pedido, mas uma afirmação de que Ele era de carne e osso, tinha fome e sede. É por isso que Ele se compadece de nós, pois conhece todas as nossas dores.

A sexta palavra foi: “Está consumado” (João 19:30),uma palavra de entrega. Jesus declara que tudo o que deveria ser feito foi cumprido. É um sinal de que a obra de salvação se tornará eficaz por intermédio de Seu sacrifício em prol de todos os homens.

A sétima palavra da cruz foi:“Pai, em tuas mãos entrego o meu Espírito!” (Lucas 23:46), uma palavra de vitória. Não era o fim, mas o começo da grande vitória eterna de Jesus, e nós que cremos, só ganhamos na vida quando entregamos tudo o que somos nas mãos do Pai. Ele triunfou por amor, Ele foi para o Pai e logo voltará para nós.

Jesus ficou 6 horas pendurado na cruz até morrer. Após o meio dia, o céu se escureceu, ilustrando perfeitamente a realidade do mundo espiritual. Durante o dia, Jesus trouxe perdão, redenção e relacionamento; após as trevas, Ele enfrentou solidão, dor e entrega para desfrutarmos de vitória! Que nesta Páscoa essas palavras façam diferença em sua vida e que você também seja agente de transformação ao recebe-las, celebrá-las e reparti-las. Foi tudo por você.

Como está o nível do seu tanque?

Se você dirige, sabe que, periodicamente, precisa parar para abastecer seu veículo. E há um princípio muito simples aqui: quando você dirige com atenção e prioriza o reabastecimento, pode escolher o melhor posto, levando em consideração preço, qualidade do produto e serviço. O previdente pode ser seletivo e dar a si mesmo a liberdade de escolha, sem afoitamento e atropelos. Nada melhor do que, durante a jornada, ter a possibilidade de escolher, parar, reabastecer com segurança e seguir ao destino desejado. Contudo, quando você está rodando na reserva, não há escolhas. Você precisa parar e reabastecer no primeiro posto que aparecer adiante, o qual não necessariamente tem o melhor preço, produto ou serviço. O lugar pode, ao contrário, prejudicar seu bolso e, além disso, danificar seu automóvel com combustível ruim. É possível até mesmo que o motor do carro seja comprometido e, consequentemente, a chegada ao seu destino.

Esta é uma excelente metáfora para a nossa jornada de vida. Eu pergunto a você: como está o seu tanque? Como está o seu nível de abastecimento? Está rodando no limite ou está rodando de tanque cheio? Além disso, o seu tanque está cheio de quê? Qual é o seu combustível?

O apóstolo Paulo foi um dos maiores líderes e pensadores da história do Cristianismo. Escreveu 13 das 27 cartas do Novo Testamento, era poliglota, membro do Sinédrio judaico e aluno do mestre Gamaliel. Tornou-se o maior missionário do cristianismo primitivo e levou a fé cristã para Ásia, Arábia, Europa e foi por isso perseguido, condenado e preso. O nível do reservatório espiritual de Paulo estava tão bom que, mesmo em meio a idade avançada, preso e perseguido, ele mantinha a satisfação, a sabedoria, a solitude, o bom senso e, sobretudo, a fé em dias difíceis. Cuidado para que, no afã de ganhar o mundo, você não perca sua alma, seu coração, seu espírito e as pessoas que mais ama nessa vida.

O ressentimento é a isca de Satanás para fisgar seu coração e ferir sua alma. Deixe Deus encher o tanque da sua alma. Vivemos dias de muita contaminação espiritual, de muito lixo tóxico nas conversas e relacionamentos, tanto pessoais como virtuais. Mais do que nunca, precisamos guardar bem o coração e sermos bem seletivos sobre nossos postos de abastecimento. Cuide bem de seus relacionamentos, pois eles podem encher ou esvaziar o seu tanque. Cuide de seus olhos e seus pés, pois eles também poderão levá-lo a boas fontes ou aos desertos da vida. Portanto, continue firme em sua jornada, pare para abastecer sempre em lugares seguros, porque somente os satisfeitos são seletivos e chegam bem ao seu destino final. Não desista, a jornada é longa, mas com fé em Deus, tudo vai ficar bem. Ele não disse que seria fácil, mas disse que estaria sempre com você. Ele é Emanuel, Deus conosco, que nos deu Seu Espírito Santo, também chamado de “O Consolador”. Que seu melhor ainda esteja por vir!.

40 Dias de Preparação: a sua Quaresma

No calendário cristão, esta semana marcou o início da “Quaresma”, período que antecede em quarenta dias a celebração da Páscoa. Para alguns, este período pode passar despercebido no calendário, já que não é tão valorizado no Brasil quanto outras datas. No entanto, há um significado bastante interessante e importante nestes quarenta dias e que podemos levar para nossas vidas.

A Quaresma é comemorada em diversas vertentes cristãs, da tradição romana, à ortodoxa, à luterana e outras. A palavra deriva do latim quadragesimadies, que significa quadragésimo dia. Ela tem início na Quarta-feira de Cinzas e se estende até a comemoração da Páscoa, que tem início na Sexta-feira Santa. Na sexta semana, comemora-se o Domingo de Ramos, em lembrança à entrada triunfal de Cristo em Jerusalém, antes de ser traído, condenado e entregue à crucificação romana. O Domingo seguinte é o mais importante dia desta celebração: Jesus ressurreto, a nossa vitória e o fundamento da nossa fé. O período de quarenta dias que antecedem a principal data da fé cristã, o Domingo da Ressurreição, tem como principal intuito levar pessoas à preparação de seus corações para este período, um tempo de reavivar a fé, intensificar as orações e repensar caminhos. É interessante pensar que o período de quarenta dias é bastante recorrente na Bíblia e este tempo é relacionado à preparação para algo que Deus estaria prestes a fazer. Jesus passou quarenta dias e noites no deserto antes do início do seu ministério, e passou quarenta dias na Terra após a ressurreição – para citar alguns exemplos.

Nossa Quaresma na Igreja da Cidade trará o tema: “40 dias de Presença”. Durante este período,meditaremos nas últimas palavras de Jesus na Cruz – foram sete, exatamente o número de semanas até a celebração da Páscoa. Será um tempo especial de aprendizado e preparação! Você é nosso convidado! Para nós, a Quaresma ganha ainda um sentido mais especial, já que a Igreja da Cidade há mais de quinze anos realiza o Auto de Páscoa, uma encenação artística da vida, morte e ressurreição de Cristo. O espetáculo com coral, orquestra, teatro e dança, em um cenário de mais de 700m2 remontando Israel do primeiro Século, já é parte de nossa agenda cultural do Vale do Paraíba. Realizado por cerca de 2500 voluntários, a cada ano o Auto tem surpreendido por sua qualidade, proporção e uma mensagem de esperança. Em 2019, o Auto de Páscoa trará o tema Neshamah, que em hebraico significa “Fôlego de Vida”. De forma belíssima, o Auto mostrará o fôlego de vida que o Espírito Santo trouxe por meio de Jesus às pessoas que decidiram segui-lo, e que também está disponível para nós hoje. Neshamah acontece dos dias 15 a 20 de Abril no Campus Colina da Igreja da Cidade em São José dos Campos, com postos de trocas de ingressos neste local e no supermercado Piratininga. Fique atento às nossas redes sociais para receber todas as informações. Faça o que você nunca fez antes, para viver o que jamais experimentou! Vamos juntos!.

Um mundo de mudanças

A mudança é inerente à vida. Onde existe vida animal, vegetal ou humana, é necessário passar por ciclos e estações de mudanças. Nesta era em que vivemos, as mudanças nos processos culturais, comerciais, sociais e tecnológicos são ainda mais aceleradas. Se você não gosta de mudanças, terá sérios problemas com o tempo presente. Definitivamente, o mundo que deixaremos para nossos filhos e netos será muito diferente de como o conhecemos hoje. O fato é que, desde a civilização romana, já se sentenciava: tempora mutantur, nos et mutamur in illis, ou seja: “os tempos mudaram e nós mudamos com eles”. Quem não mudar, pode se preparar para se isolar, perder e até morrer.

A sociedade mudou e está mudando – se para melhor ou pior, será sempre uma questão relativa. No entanto, creio que sempre conviveremos com as duas realidades. Essas mudanças à nossa volta são constantes e cada vez mais rápidas, e nem todas são positivas. Penso que podemos fazer hoje muitas projeções sobre o futuro da sociedade mundial, mas se formos sóbrios e sensatos, vamos admitir que não passarão de especulações.

Um fator interessante sobre as mudanças é a velocidade e intensidade com que acontecem. Há tempos atrás, as mudanças eram mais sutis e emitiam sinais mais perceptíveis. Se você tem mais de 45 anos, por exemplo, se lembrará bem de como foi o processo da queda do comunismo na Europa, a unificação da Alemanha e a queda da URSS.

Podemos pensar por exemplo, em quantas mudanças estão sendo geradas em nosso país, desde que a operação Lava Jato da Polícia Federal entrou em ação. Hoje em sua 60ª fase, continua prendendo corruptos, sejam empresários, magistrados ou políticos. E como vivemos em um mundo completamente interligado, quase 20 países já começaram a apurar judicialmente supostos recebimentos de propinas por parte de grandes empresas denunciadas pela operação brasileira, que também influenciou grandemente o processo eleitoral no Brasil do ano passado. Todos sabemos e sentimos os efeitos destas mudanças no dia a dia; estamos todos conectados nesta “world wild web”! Em minha opinião, a tecnologia e, em especial a internet, continuarão influenciando o mundo para grandes mudanças e gerando muita instabilidade. Não param de chegar notícias de turbulência na economia, política, clima e religião.

Como vamos viver e conviver nesta época, sem perder a essência da nossa humanidade? Jesus afirmou por 3 vezes: “Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão” (Marcos 13:31). Alimente-se diariamente do que é estável em um mundo instável. Tudo mudará e passará, e vamos continuar mudando, então, permaneça firme nos princípios de vida da Bíblia. Veja Israel, uma nação de tantas mudanças, em que o valor da Bíblia é visível em todas as suas decisões, uma nação que alia o mais alto desenvolvimento tecnológico com a confiança nas promessas da Palavra de Deus, feitas ao seu patriarca Abrão, o pai da fé judaica e cristã.

Martinho Lutero, monge agostiniano convertido à fé reformada, quando compôs seu hino Castelo Forte, lembrou: “Embora a vida vá, sei que a Palavra ficará. Sabemos com certeza!” Em dias de mudanças e instabilidade, você poderá não controlar muitas coisas, mas saiba que a única coisa que poderá controlar é o quanto você confiará em Deus, a despeito das circunstâncias da vida..