40 Dias de Preparação: a sua Quaresma

No calendário cristão, esta semana marcou o início da “Quaresma”, período que antecede em quarenta dias a celebração da Páscoa. Para alguns, este período pode passar despercebido no calendário, já que não é tão valorizado no Brasil quanto outras datas. No entanto, há um significado bastante interessante e importante nestes quarenta dias e que podemos levar para nossas vidas.

A Quaresma é comemorada em diversas vertentes cristãs, da tradição romana, à ortodoxa, à luterana e outras. A palavra deriva do latim quadragesimadies, que significa quadragésimo dia. Ela tem início na Quarta-feira de Cinzas e se estende até a comemoração da Páscoa, que tem início na Sexta-feira Santa. Na sexta semana, comemora-se o Domingo de Ramos, em lembrança à entrada triunfal de Cristo em Jerusalém, antes de ser traído, condenado e entregue à crucificação romana. O Domingo seguinte é o mais importante dia desta celebração: Jesus ressurreto, a nossa vitória e o fundamento da nossa fé. O período de quarenta dias que antecedem a principal data da fé cristã, o Domingo da Ressurreição, tem como principal intuito levar pessoas à preparação de seus corações para este período, um tempo de reavivar a fé, intensificar as orações e repensar caminhos. É interessante pensar que o período de quarenta dias é bastante recorrente na Bíblia e este tempo é relacionado à preparação para algo que Deus estaria prestes a fazer. Jesus passou quarenta dias e noites no deserto antes do início do seu ministério, e passou quarenta dias na Terra após a ressurreição – para citar alguns exemplos.

Nossa Quaresma na Igreja da Cidade trará o tema: “40 dias de Presença”. Durante este período,meditaremos nas últimas palavras de Jesus na Cruz – foram sete, exatamente o número de semanas até a celebração da Páscoa. Será um tempo especial de aprendizado e preparação! Você é nosso convidado! Para nós, a Quaresma ganha ainda um sentido mais especial, já que a Igreja da Cidade há mais de quinze anos realiza o Auto de Páscoa, uma encenação artística da vida, morte e ressurreição de Cristo. O espetáculo com coral, orquestra, teatro e dança, em um cenário de mais de 700m2 remontando Israel do primeiro Século, já é parte de nossa agenda cultural do Vale do Paraíba. Realizado por cerca de 2500 voluntários, a cada ano o Auto tem surpreendido por sua qualidade, proporção e uma mensagem de esperança. Em 2019, o Auto de Páscoa trará o tema Neshamah, que em hebraico significa “Fôlego de Vida”. De forma belíssima, o Auto mostrará o fôlego de vida que o Espírito Santo trouxe por meio de Jesus às pessoas que decidiram segui-lo, e que também está disponível para nós hoje. Neshamah acontece dos dias 15 a 20 de Abril no Campus Colina da Igreja da Cidade em São José dos Campos, com postos de trocas de ingressos neste local e no supermercado Piratininga. Fique atento às nossas redes sociais para receber todas as informações. Faça o que você nunca fez antes, para viver o que jamais experimentou! Vamos juntos!.

Um mundo de mudanças

A mudança é inerente à vida. Onde existe vida animal, vegetal ou humana, é necessário passar por ciclos e estações de mudanças. Nesta era em que vivemos, as mudanças nos processos culturais, comerciais, sociais e tecnológicos são ainda mais aceleradas. Se você não gosta de mudanças, terá sérios problemas com o tempo presente. Definitivamente, o mundo que deixaremos para nossos filhos e netos será muito diferente de como o conhecemos hoje. O fato é que, desde a civilização romana, já se sentenciava: tempora mutantur, nos et mutamur in illis, ou seja: “os tempos mudaram e nós mudamos com eles”. Quem não mudar, pode se preparar para se isolar, perder e até morrer.

A sociedade mudou e está mudando – se para melhor ou pior, será sempre uma questão relativa. No entanto, creio que sempre conviveremos com as duas realidades. Essas mudanças à nossa volta são constantes e cada vez mais rápidas, e nem todas são positivas. Penso que podemos fazer hoje muitas projeções sobre o futuro da sociedade mundial, mas se formos sóbrios e sensatos, vamos admitir que não passarão de especulações.

Um fator interessante sobre as mudanças é a velocidade e intensidade com que acontecem. Há tempos atrás, as mudanças eram mais sutis e emitiam sinais mais perceptíveis. Se você tem mais de 45 anos, por exemplo, se lembrará bem de como foi o processo da queda do comunismo na Europa, a unificação da Alemanha e a queda da URSS.

Podemos pensar por exemplo, em quantas mudanças estão sendo geradas em nosso país, desde que a operação Lava Jato da Polícia Federal entrou em ação. Hoje em sua 60ª fase, continua prendendo corruptos, sejam empresários, magistrados ou políticos. E como vivemos em um mundo completamente interligado, quase 20 países já começaram a apurar judicialmente supostos recebimentos de propinas por parte de grandes empresas denunciadas pela operação brasileira, que também influenciou grandemente o processo eleitoral no Brasil do ano passado. Todos sabemos e sentimos os efeitos destas mudanças no dia a dia; estamos todos conectados nesta “world wild web”! Em minha opinião, a tecnologia e, em especial a internet, continuarão influenciando o mundo para grandes mudanças e gerando muita instabilidade. Não param de chegar notícias de turbulência na economia, política, clima e religião.

Como vamos viver e conviver nesta época, sem perder a essência da nossa humanidade? Jesus afirmou por 3 vezes: “Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão” (Marcos 13:31). Alimente-se diariamente do que é estável em um mundo instável. Tudo mudará e passará, e vamos continuar mudando, então, permaneça firme nos princípios de vida da Bíblia. Veja Israel, uma nação de tantas mudanças, em que o valor da Bíblia é visível em todas as suas decisões, uma nação que alia o mais alto desenvolvimento tecnológico com a confiança nas promessas da Palavra de Deus, feitas ao seu patriarca Abrão, o pai da fé judaica e cristã.

Martinho Lutero, monge agostiniano convertido à fé reformada, quando compôs seu hino Castelo Forte, lembrou: “Embora a vida vá, sei que a Palavra ficará. Sabemos com certeza!” Em dias de mudanças e instabilidade, você poderá não controlar muitas coisas, mas saiba que a única coisa que poderá controlar é o quanto você confiará em Deus, a despeito das circunstâncias da vida..

Coisas ruins acontecem com pessoas boas

Sou uma pessoa otimista, mas não ingênuo. Dias difíceis chegarão – como infelizmente vivemos na última semana no Brasil, com notícias de Brumadinho. Por vezes não entendemos e explicamos todos os acontecimentos da vida! Há dias muito difíceis, até impensáveis, em que a injustiça, a ganância e negligência dos homens (como parece ter sido o caso da segunda tragédia sob a administração da mineradora Vale) ou a nossa própria fragilidade humana batem à nossa porta.

Como são os dias difíceis para você? Como está a sua fé? Acredite, este assunto é mais importante do que você imagina, pois gera implicações na forma como você vive sua vida, encarando todos os cenários, sejam eles pessoais ou nacionais. Nossa paz exterior está completamente ligada à nossa paz interior. Não se trata de uma fé em nós mesmos, tampouco de fé na fé. Não se trata de uma fé fundamentalista. Precisamos de uma fé viva, racional e espiritual, equilibrada, com paz e bom senso. Uma fé depositada em Deus e em seu poder e soberania, que é para o bem de toda a sociedade, pois gera amor, reconstrução, respeito e equilíbrio com a vida e o próximo. Jesus não disse que a vida na Terra seria fácil, mas que estaria conosco em todos os momentos. Depois que Ele subiu aos Céus, nos enviou seu Espírito Santo, para estar conosco e, inclusive, nos consolar nos momentos mais difíceis da vida.

Sem o fator fé, toda a sociedade sucumbiria. Isso é tão verdade, que pessoas são capazes de depositar uma fé cega em si mesmas, em sistemas políticos, até mesmo em técnicas e soluções humanas para todo tipo de problemas, que nem sempre correspondem às expectativas. Há gente demais confiando plenamente em empresas, instituições ou algo que é, meramente, humano e, portanto, imperfeito. Está escrito: “Assim diz o Senhor: Maldito é o homem que confia nos homens, que faz da humanidade mortal a sua força, mas cujo coração se afasta do Senhor. Mas bendito é o homem cuja confiança está no Senhor, cuja confiança nele está. Ele será como uma árvore plantada junto às águas e que estende as suas raízes para o ribeiro. Ela não temerá quando chegar o calor, porque as suas folhas estão sempre verdes; não ficará ansiosa no ano da seca nem deixará de dar fruto” (Jeremias 17.5-8).

Quem confia somente em si mesmo – não que a autoconfiança seja maléfica, mas, sim, o orgulho – acaba em sequidão, solidão e perda. No entanto, a boa notícia é: aquele que deposita fé em Deus é abençoado e frutífero. A fé não é sobre uma conduta, é sobre o poder para uma nova vida. Tenha autoconfiança, mas não confie cegamente em si mesmo, na sua formação, intelecto ou bens. Podemos confiar em Deus e no cuidado Dele. Tenha uma fé consciente e deposite em Deus, através da Bíblia Sagrada, suas decisões de fé diariamente. Isso abençoará a sua vida e será uma peça para que toda a nossa sociedade seja edificada para melhores tempos. Escolha a fé!.

Lute suas batalhas

Todos temos lutas e batalhas na vida. A questão não é se vamos lutar ou não, mas o quanto lutaremos. O problema é estar na luta errada. O apóstolo Paulo escreveu em uma de suas cartas: “Sendo assim, não corro como quem corre sem alvo e não luto como quem esmurra o ar” (1 Coríntios 9:26). Ele sabia que lutava, mas declarou que não lutava sem propósitos.

Como estão suas lutas? Pelo que você tem lutado? Alguns de nós precisaram vencer ainda no ventre materno uma grande batalha para conseguir vir ao mundo. Alguns lutaram para nascer devido a problemas de saúde ou mesmo por sobreviver a um processo de aborto. Mas, lutaram e venceram ao nascerem!

Muitos também atravessaram em sua primeira infância grandes lutas. Alguns lutaram contra a pobreza e desnutrição, outros enfrentaram lares disfuncionais, outros sofreram abusos sexuais e venceram brigas e divórcios dos pais. Enfim, apesar de uma infância difícil, lutaram contra seus traumas, mantiveram-se saudáveis e venceram, desde cedo.

Muitos lutaram muito na adolescência. Lutaram e venceram os turbulentos anos típicos desta idade. Enfrentaram bullying na escola, crises existenciais, conflitos familiares, tentações e apelos das drogas, do álcool e das escolhas destrutivas. No entanto, venceram em meio às pressões.

Muitos enfrentaram grandes crises na juventude. Passaram por injustiças sociais, namoros problemáticos, relacionamentos destrutivos e desafios familiares. Muitos lutaram por seus estudos e suaram muito para entrar no mercado de trabalho. Alguns jovens lutaram duramente contra o medo e a depressão. Mas conseguiram enfrentar, sobreviver e vencer suas lutas da juventude.

Talvez sua luta foi pelo casamento e pela família. Talvez você precisou enfrentar um cônjuge irresponsável que traiu, decepcionou e desistiu de você. Mas, se você lutou até o fim, você também venceu. Porque o fracasso não é apenas a ausência de vitória, é a desistência pela falta de garra para lutar! Você venceu com sua consciência e fé em Deus! Como você está? Está enfrentando em sua vida hoje lutas? Quais são elas? Tenho visto em nossos dias muita gente com sérios problemas porque estão lutando lutas erradas. Ou então, estão simplesmente lutando a luta dos outros e não suas próprias lutas. Entenda, nem tudo que é bom, é bom de fato para você! Não entre em qualquer luta, avalie bem a causa em que você entrar. Hoje, tenha fé e coragem. Deus capacita você para lutar suas verdadeiras batalhas! “Para isso eu me esforço, lutando conforme a sua força, que atua poderosamente em mim” (Colossenses 1:29). Ele dá a você força para vencer! E Ele também concede sabedoria para você discernir qual é sua luta, e qual a melhor hora de lutar!

Lute por sua vida, sua família, seu casamento, seus filhos, por seus estudos e trabalho. Lute pelo pobre, pela justiça, pela fé, lute sempre com princípios e valores, como Jesus lutou por sua vida ao vencer o mal e suas tentações, ao vencer na cruz por amor a você!

Não lute por aceitação alheia, não lute por religiosidade, fanatismo legalista, por aparências, inveja, ciúmes ou pura competição e rivalidade. Decida quem, de fato, você precisa agradar! Nossas lutas internas e a luta contra nossa natureza carnal, pode ser nossa maior luta. E nunca se esqueça que o seu próximo não é seu inimigo! Não julgue ninguém, antes, ame, perdoe e siga seu destino! Não desista! Lute! O Senhor estará sempre lutando ao seu lado, se as suas lutas forem também as Dele, para você e por um mundo melhor..

Dez princípios para um grande ano novo

Nosso ano novo começou. Temos 50 semanas para vivermos um grande ano. Nesta perspectiva de um novo começo, quero escrever sobre 10 princípios para você terminar muito bem, para que, no que depender de você, você viva o melhor ano de sua vida.

Cuide da saúde: Sua saúde é um presente de Deus e está 100% relacionada à sua qualidade de vida e bom desempenho em outras áreas. Ela não depende somente de sua vontade, mas a manutenção dela, em boa parte, sim. Quando foi seu último check up? Faça uma revisão geral sobre os cuidados para que você tenha boa saúde física, mental e emocional.

Tenha equilíbrio na alimentação: Alguns dizem que somos o que comemos. Não é sobre somente o que comer, mas quanto e quando, tudo em equilíbrio e harmonia. Seja seletivo e converse com profissionais da área que o ajudem a comer melhor.

Administre suas finanças: O livro de Jaime Kemp, “Até que as finanças vos separe”, fala sobre os problemas conjugais oriundos da má administração dos recursos financeiros. Este é um assunto que todos precisam cuidar bem. Vivemos no país com os juros mais caros do mundo e precisamos ser sábios em cada escolha.

Priorize a família: Sua família é seu maior patrimônio. Não é um jargão, mas uma verdade. Ninguém estará bem se sua família estiver mal, portanto, invista e cuide de sua família.

Revise seus relacionamentos: Relacionamentos podem nos elevar ou afundar. Se somos dependentes de relacionamentos doentios, ficaremos doentes também. Ande com pessoas saudáveis, honestas, de caráter.

Ame seu trabalho: O trabalho não pode ser um fardo, pois é uma benção de Deus. Trabalho é mais que um emprego, é uma virtude. Deus é o criador do trabalho. Tenha prazer em trabalhar, produzir e empreender para si e para sociedade.

Cuide do seu coração: Segundo o sábio Salomão, do coração procedem as fontes da vida. Ele é o responsável por nossa qualidade de vida interior. Ame e perdoe, proteja e guarde seu coração de sentimentos negativos.

Cultive fé: Aplicar uma vida de fé é fundamental para manter a qualidade de vida. Está cientificamente provado que pessoas com fé vivem melhor. Não falo de uma fé religiosa, fundamentalista e puritana, mas de uma fé livre, amorosa, graciosa, leve.

Encontre o descanso: O descanso foi criado por Deus e é sagrado. Não é o Domingo ou Sábado que são sagrados, mas o princípio de parar para descansar. Não somos máquinas e precisamos do dia de folga, das férias, do dormir bem e se renovar.

Leve o lazer a sério: Quem trabalha com as mãos precisa de um descanso para o corpo, e quem trabalha com a mente precisa de um hobby com as mãos. O lazer alegra a alma, renova a criatividade e refaz a sanidade. Quem nunca tem lazer, acaba doente, ansioso ou depressivo. Aprenda a não fazer nada sério, apenas se descontrair.

Creio que você pode viver um grande ano. Viver bem e com equilíbrio estes 10 princípios ajudará você para os seus próximos passos. Tenha um lindo ano!.

Feliz novas atitudes

Todos precisamos de um novo ano! E ele já está chegando para todos nós. Você está pronto para receber e viver bem esta oportunidade? Quantas pessoas gostariam de estar vivas para desfrutar cada minuto desta nova oportunidade? Pessoas bilionárias que faleceram neste ano passado, pagariam bilhões para ter um ano de vida na terra, mesmo que fossem para ser pobres. E sabe por que? A vida é uma benção do Céu!

Você só viverá um ano novo, não cometendo os erros do passado, mas vivendo com novas atitudes, boas decisões e escolhas de vida. Um bom ano se constrói não com previsões sobre o futuro, mas com sábias decisões de cada dia do presente. Não podemos prever o futuro! E Deus seja louvado por isto, seria um caos, todos sabendo o que iria acontecer antes. O erro de 2018 não pode nos acomodar em 2019. Neste novo ano preciso estar bem com Deus, comigo mesmo e com o meu próximo. Cuide de duas questões vitais: suas emoções e seus relacionamentos. Viva em paz interior e bem resolvido consigo mesmo. Você e seus relacionamentos precisam de boa saúde! Na vida, relacionamentos são chaves para todos, ou você será fortalecido e empoderado, ou será empobrecido e enfraquecido. Escolha andar perto de pessoas que o fazem ser maiores a cada dia!

Se alguma pessoa o prejudicou no passado, não guarde mágoa, porque guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que os outros morram. Seja agradecido pela experiência e, a partir de agora, viva seu momento e construa para o futuro. A melhor definição de amor é tempo, e o melhor tempo é agora!

Viver um novo ano pode parecer coisa muito simples, mas não é para todos. Não pense que você terá um ano novo com atitudes mesquinhas, egoístas, negativas, pessimistas, julgadoras e egocêntricas. Decida eliminar o que foi negativo e inicie seu novo ano de forma positiva. Quando você receber uma nova tarefa ou se deparar diante de uma nova oportunidade, saia da mentalidade de escassez, não culpe os outros e assuma suas responsabilidades. Seja grato e faça o seu melhor.

Para que você faça um bom investimento desta dádiva que você recebeu, cuide muito bem de suas atitudes e decisões. Como escreveu o rei Salomão no seu lindo livro de Provérbios: “Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida. Afaste da sua boca as palavras perversas; fique longe dos seus lábios a maldade. Olhe sempre para a frente, mantenha o olhar fixo no que está adiante de você. Veja bem por onde anda, e os seus passos serão seguros. Não se desvie nem para a direita nem para a esquerda; afaste os seus pés da maldade” (4: 23-27).

Perdoe os que lhe feriram no ano passado, porque se você não voar mais alto e perdoar, quem acaba morrendo antes de falecer é você! Valorize seu momento, sirva com alegria as pessoas da sua vida, livre-se de más companhias, se inspire em pessoas que pensam e vivem para grandeza. Nos seus negócios, tenha visão de águia e em seus relacionamentos, tenha coração de ovelha. Viva para além de si mesmo e fuja de pessoas negativas, tóxicas, pessimistas e vingativas!

Feliz Ano Novo com novas atitudes!.

Jesus no pé de goiaba

Esta semana, acompanhei como muitos brasileiros a composição final da equipe ministerial do novo governo de Jair Bolsonaro, presidente eleito do Brasil. Ele indicou 22 nomes, já temos um grande feito, considerando os 39 ministros do governo da Presidente Dilma Roussef e 29 do governo de Michel Temer, sem falar que pela primeira vez, acompanhamos cada indicação com expectativa e para o bem do Brasil, os ministérios foram compostos em sua grande maioria por nomes de técnicos de alta performance.

O fato que desejo destacar, vem fruto da indicação do último nome na equipe do presidente, a nova ministra para a pasta dos direitos humanos, Damares Alves. Você conhece esta mulher? Que foi atacada nas redes sociais, ridicularizada em sua fé, devido a um episódio de sua vida, quando ela tinha apenas 10 anos de idade, e iria tentar o suicídio fruto da pressão emocional, pelos abusos sexuais sofridos na sua infância por anos.

Eu não a conheço pessoalmente, nunca fui a uma palestra dela e ela nunca palestrou na igreja onde sirvo como pastor. Mas, eu procurei conhecer sua história, e descobri que Damares não foi apenas assessora parlamentar por muitos anos. Nos últimos 20 anos, não houve nenhum parlamentar engajado em algum nível com questões de família, defesa da vida e da infância que não tenha consultado a opinião de Damares Alves sobre algum projeto de lei no Congresso Nacional.

Ela tem 54 anos, cresceu no Sergipe, mas morou em várias cidades do Nordeste na juventude; de origem humilde, ela é filha de um pastor e de uma dona de casa. Quando criança, aos 6 anos de idade, foi abusada sexualmente. A violência foi tão brutal que a tornou incapaz de gerar uma criança em seu útero. Atualmente, sua filha tem 19 anos e, assim como a mãe, se dedica às minorias, sobretudo às causas indígenas.

No final da década de 80, no Sergipe, Damares fundou o comitê estadual do Movimento Nacional Meninas e Meninos, cuja principal função era a proteção de crianças moradoras de rua. Nesse período, por diversas vezes, transformou seu próprio apartamento em lar temporário para essas crianças.

Damares foi uma das fundadoras do Movimento Brasil Sem Aborto, a entidade organizada mais influente na defesa dos nascituros no Brasil. É palestrante reconhecida nacionalmente pelo combate à pedofilia. É coordenadora do Movimento Nacional Brasil Sem Drogas. Advoga voluntariamente, há 30 anos, para mulheres em situação de vulnerabilidade social e violência doméstica. É coordenadora do Instituto Flores de Aço, com sede em Brasília, que milita em defesa dos direitos da mulher.

Será que agora todos os que tem uma visão espiritual, precisarão sofrer bullying pela sua fé? Se eu não tenho fé, não deveria me preocupar com a visão espiritual de quem crê, não é mesmo? Eu acredito que Jesus aparece quando quer e como quer, e se comunica na linguagem da pessoa a quem se dirige. Lamento os que zombam da fé alheia e comemoro os milhões que sabem que Jesus está vivo, e aparece tantas vezes. Tenho estado regularmente no Oriente Médio e na Ásia, e já ouvi muitos relatos de pessoas que conversaram com Jesus por visão.

A narrativa de Damares, que tanto está sendo criticada, não é nem de longe a mais estranha. A Bíblia está lotada de histórias sobrenaturais. Estado laico é aquele que respeita todas as manifestações religiosas, vale lembrar. E como disse o filósofo Francês Voltaire: “Não concordo com uma só palavras do que dizes, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-la” Mais respeito e amor, por favor!.

Que venha o Natal de Jesus

Chegamos ao mês de dezembro, época de celebrar o Natal, o nascimento do nosso Salvador, como assim relembra a antiga canção de John Lennon,”Chegou o Natal, a festa cristã, do velho e do novo!” O Natal é a celebração da vida, o dia em que Deus nasceu no mundo em forma de uma criança, trazendo paz, luz, amor, esperança, uma nova aliança e uma nova vida para humanidade. Jesus de Nazaré, nasceu em Belém como uma criança humilde e marginalizada e encontrou todos e todas neste mundo, oferecendo-lhes a presença de Deus e a reconciliação com Ele!

Sobre o nascimento de Jesus, sabemos muito pouco. Ele nasceu antes da morte de Herodes Magno (Mt 2.1; Lc 1.5), que faleceu na primavera de 750 da era romana, ou seja, no ano 4 antes de Cristo. Conforme estudos, o ano mais provável do nascimento de Jesus é 7 ou 6 antes da era cristã. Não foi na época do inverno (Lc 2:8), porque segundo a referência, o rebanho de ovelhas dormia ao relento, o que não ocorre no inverno do norte.

Somente a partir do ano 350 o Natal começou a ser comemorado no dia 25 de dezembro. Em torno da escolha desta data, há uma longa história. A comemoração do Natal de Jesus surgiu de um decreto. O Papa Júlio 1º decretou em 350 que o nascimento de Cristo deveria ser comemorado no dia 25 de dezembro. O calendário que adotamos hoje é uma forma recente de contar o tempo. Foi o Papa Gregório 13 que decretou o seu uso através da Bula Papal “Inter Gravissimus” assinada em 24 de fevereiro de 1582. A proposta foi formulada por Aloysius Lilius, um físico napolitano e aprovada no Concílio de Trento (1545/1563). Nesta ocasião foi corrigido um erro na contagem do tempo, desaparecendo 11 dias do calendário.

O fato interessante desta correção é que o Solstício do Inverno foi deslocado para outra data. Dependendo do ano, o início do inverno se dá entre o dia 21 e o dia 23 de dezembro. Assim, mesmo a razão fundamental para a comemoração do nascimento de Jesus no dia 25 de dezembro tenha se perdido com essa mudança no calendário, o Natal continuou a ser comemorado no dia 25 de dezembro.

Para nós, do Hemisfério Sul, há menos razões ainda para se comemorar o Natal no dia 25. Nesta data vivemos os primeiros dias do verão e não do inverno. Porém, herdamos as tradições cristãs que vieram do Hemisfério Norte e, seja você um cristão ou não, cada vez que você escreve uma data, está fazendo uma referência direta ao nascimento de Jesus Cristo!

O mais importante de tudo é o fato de que vale celebrar este ato de amor maravilhoso de Deus: Ele veio ao mundo e inaugurou uma nova vida entre nós. Vamos celebrar o nascimento do Rei dos reis, Jesus Cristo, o Filho de Deus, e não vamos nos entristecer talvez porque o dinheiro anda curto e o orçamento não vai dar para comprar todos os presentes. Afinal, o aniversariante só quer nosso amor. Que venha o Natal e tenha um lindo e iluminado dezembro!.

A polêmica da série Super Drags

Talvez você já tenha ouvido sobre a produção da Netflix que entrou em cartaz na semana passada no Brasil, com a qual um grupo de brasileiros, inclusive muitos cristãos evangélicos e católicos, sentiu-se bastante incomodado. A série “Super Drags”, mesmo sendo uma animação, destina-se ao público adulto e tem classificação indicativa para maiores de 16 anos. A produção vem recebendo muitas criticas e protestos de civis, entidades e parlamentares.

Uma das críticas mais acertadas, para mim, veio da Sociedade Brasileira de Pediatria, que aponta que a série vem a “utilizar uma linguagem eminentemente infantil para discutir tópicos próprios do mundo adulto”, já que a temática de super-heróis é de fácil identificação com crianças. A entidade pediu o cancelamento da exibição, sem êxito. Até aí, tudo normal. Num país livre, todos têm o direito de expressão.

Particularmente, não assisti a série e não tenho interesse fazê-lo, mas acompanhei a polêmica em torno da estreia e fui muito questionado sobre a minha opinião, sendo até instigado a levantar um boicote à empresa. A todos expliquei porque não abraçaria esta causa em protesto público. Sigo a seguinte linha de pensamento: será que na TV aberta muitas produções (incluindo novelas em horários vespertinos) não são ainda mais nocivas às nossas crianças? Será que na própria Netflix este é o único conteúdo nocivo? Penso que nós, pais, precisamos conversar mais com nossos filhos e, dentro de cada lar, criar nossas próprias regras de valores e seguranças para cinema, TV aberta, por assinatura e por streaming. Produções nocivas sempre serão produzidas por muitos meios. Infelizmente, há muito sendo produzido em nome da cultura e do entretenimento que está carregado de mensagens tóxicas.

Por outro lado, há muitos cristãos evangélicos brigando por tudo, esperando o comportamento de um cristão convertido de pessoais ateístas ou até militantes contra a fé cristã. Não podemos atacar todos que pensam diferente, pois podemos cair num ativismo perigoso, inclusive para a comunicação da mensagem do evangelho de Cristo, que é, antes de tudo, um convite para um relacionamento pessoal de amor entre Deus e o homem. Acredito que alguns cristãos estão se esquecendo de que nem todo mundo é cristão e que nem todos têm os mesmos princípios e valores com relação a entretenimento e sexualidade.

No caso da Netflix, ele é um serviço de fácil controle para os pais, que podem criar senhas exclusivas para que seus filhos tenham um ambiente seguro de entretenimento. Não adianta protestar contra o canal pago e deixar a TV aberta de babá para seus filhos ou expô-los a jogos violentos e sites pornográficos em seus celulares. Sobre isso, Jesus também falou: “Vocês coam um mosquito e engolem um camelo” (Mateus 23:24). Em sua defesa, a Netflix reafirmou que o seriado não é destinado a crianças e não estaria disponível no catálogo infantil, acrescentando que os responsáveis podem controlar o que os filhos assistem pelas configurações no próprio aplicativo. Pense nisto e vamos viver com mais sabedoria e menos polêmica!.

Pantera Negra e a dor de todos nós

Meus filhos e eu gostamos muito dos filmes da Marvel. A produção, os enredos e a ação fazem deles um bom entretenimento em dias tão estressantes. Além disso, histórias de ficção podem revelar um pouco de cada um de nós. Semana passada fomos ver o mais novo sucesso da marca, Pantera Negra. O filme foi um exemplo de uma produção de grande orçamento dirigida e roteirizada por negros e estrelada por um elenco majoritariamente afrodescendente. Além disso, a forma respeitosa e exuberante como o mundo de Wakanda é retratado, o fez entre os mais elogiados entre os 18 lançamentos do universo cinematográfico Marvel.

Além de todos os efeitos especiais, os clássicos da Marvel, chamam a atenção o fato em comum entre os personagens, geralmente eles tinham dores do passado que, por estarem mal resolvidas, voltam com força ao presente. Somos muito diferentes dos super-heróis em seus poderes, mas muito próximos a eles em suas dores humanas. Sentimentos negativos, perdas, injustiças, abusos e dores do passado, quando não tratados e resolvidos, poderão travar sua vida no presente. Como disse Rick Warren, autor do best seller mundial, “Uma Vida com Propósitos”: “guardar mágoa e ressentimento em seu coração, é o mesmo que tomar veneno e esperar que os outros morram”. Voltando ao Pantera Negra, o filme gira em torno de uma dor mal resolvida do vilão da saga, Erik Killmonger (Michael B. Jordan). Este chorou sobre o cadáver de seu pai, N’Jobu (Sterling K. Brown), um espião de Wakanda enviado aos EUA no começo dos anos 1990 e que se revoltou com a forma como os negros são tratados ao redor do mundo. Quando o rei T’Chaka (John Kani) descobre que N’Jobu pretendia usar o vibranium, metal precioso que só existe em Wakanda, como uma arma de libertação para povos oprimidos em todo o mundo, os dois divergem e T’Chaka acaba matando o próprio irmão. Órfão de pai, Killmonger se radicaliza e canaliza a raiva para tentar completar os planos de N’Jobu. Cabe aqui uma importante reflexão. Temos visto muita raiva, ódio e violência expostos na sociedade que tem diretamente a ver com esta questão: uma orfandade não resolvida. O mundo utópico e imaginário do Reino de Wakanda pode nos trazer uma realidade do nosso mundo real: somos humanos e precisamos tratar bem das nossas emoções. Do contrário, teremos efeitos colaterais graves para nossas vidas e para as pessoas que amamos. Somos seres especiais, dotados de uma capacidade ímpar na natureza, dada pelo Eterno Criador: temos a capacidade de escolha.

Busque ajuda! Cure suas feriadas do passado e viva emocionalmente saudável! Faça escolhas em paz e siga rumo ao destino que Deus preparou para você. Ele tem planos de paz e de grande futuro, como está escrito no livro do profeta Jeremias, 29:11. Você não é sua dor, ela não determina seu futuro, suas atitudes sim! Decida ser filho de Deus, porque Jesus o convida a crer que o Pai é nosso!.