O perigo das polarizações

Extremos são perigosos! Acredito que saúde e segurança vêm do equilíbrio. Não há batalhas ganhas sem estratégias sábias e equilibradas. Atitudes polarizadas são como os extremos de uma ferradura: acabam encontrando-se no mesmo lugar. Um avião só voa porque é sustentado pelo equilíbrio das asas, assim como o corpo humano só vive com sistemas equilibrados. Atitudes extremas preocupam-me, mesmo que tenham boas intenções.

Quando era adolescente, ouvia muito dos adultos: “Política, religião e futebol não se discute!”. Cada um tinha o seu e pronto. Com o passar do tempo, vimos que não é bem assim. Os três assuntos passaram ao centro das discussões da sociedade, seja na família, escola, faculdade, rodas de conversas, bares e entrevistas de rádio e TV. Com a liberdade de imprensa, a sociedade foi evoluindo e se acostumando a discutir pontos de vistas diferentes e pautas das mais variadas, de comportamento à política. Mesmo temas mais passionais como futebol, política e religião passaram a ser amplamente discutidos e explorados. Isso de fato é muito bom, porque onde existe liberdade, pluralidade de ideias, diálogo e ponderações, a sociedade como um todo sempre sai ganhando. Como diz o princípio bíblico, são nos múltiplos conselhos que a sabedoria se estabelece.

A chegada da internet, naturalmente, trouxe muitos ganhos para a sociedade global, incluindo a economia de tempo, energia e distâncias e mais conhecimento para todos. No entanto, também deixou efeitos colaterais. Um deles foi que as discussões se tornaram mais ácidas, maldosas e até cruéis. Em minha opinião, muitas pessoas começam a expor ódio, preconceitos e julgamentos escondidos sob o anonimato de seus perfis, até mesmo “fake”, dizendo do que jamais falariam na exposição de seus nomes reais.

Na política brasileira, mudam os governos e a tensão continua. Com o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, os ânimos exaltaram-se. A ascensão de Temer aliviou em parte a tensão até as eleições, que depois acirrou ainda mais. Nossa sociedade está ainda mais polarizada e com muitos desgastes relacionais. Temos a tensão política direita X esquerda; a social, conservadora X liberal; a econômica de livre mercado X controle estatal. Será mesmo que precisamos viver neste dualismo? Acredito que parte da mídia está aumentando este clima e não contribuindo como poderiam para unir os brasileiros. Continuo acreditando que o melhor caminho para a sanidade e o progresso estão no equilíbrio e no diálogo. Eu penso que governo, oposição, justiça, impressa, igrejas e sociedade civil em geral, todos temos que fazer nossa parte para unir os brasileiros em todo do melhor para o Brasil..