O novo Rei Leão, o segredo da superação de Simba!

O filme “O Rei Leão” estreou nesta semana e já é um sucesso no Brasil e no mundo. O remake da Disney Pictures de 1994 arrecadou na primeira semana mais de US$ 600 milhões. A saga com o design realista é a quarta versão do longa e em muitos aspectos supera original. Por outro lado, é difícil que um animal realista passe tanta emoção para o público quanto o desenho animado original, dono de dois Oscars e que lucrou quase U$ 1 bilhão. A verdade é que é difícil agradar a todos quando se trata de um clássico. O enredo principal é o mesmo: “traído por seu tio Scar e exilado de seu reino, o leãozinho Simba precisa descobrir como crescer e retomar seu destino de herdeiro real na savana africana.”

Também assisti com parte da minha família o novo filme. Chamou-me muito a atenção os diálogos de Simba com a leoa Nala no seu reencontro, bem como a sequência com o macaco Rafiki, uma espécie de profeta da savana. Simba quer continuar vivendo no seu mundo, ignorando sua identidade real. Nala o confronta, pedindo que ele volte para a sanava, derrube Scar e tome de volta o reino que lhe pertence. Simba parece não ter forças até que Rafiki o lembra de que é filho de Mufasa, que seu pai vive dentro dele e que Simba é a continuação do legado e do reino de seu pai. Fortalecido por esta verdade, Simba encontra forças para refazer seu caminho e lutar por seu destino e pela libertação da sua família e do seu povo. Este diálogo traz uma palavra libertadora na vida de uma pessoa, que é a filiação e a paternidade bem resolvidas. Muitos estão dando cabeçadas na vida porque se deixam levar pelo espírito de orfandade em suas almas.

Todos nós precisamos desta questão bem resolvida para sermos bem-sucedidos e encontrarmos nosso destino. Todo ser humano precisa ter a questão da paternidade bem resolvida – mesmo uma pessoa como eu, que ficou órfão de pai aos 8 meses de idade, devido a um trágico acidente de ônibus. Não tive pai biológico, mas meus irmãos mais velhos e pastores que tive em minha vida me ajudaram muito e eu pude superar esta realidade, sobretudo, pela adoção de Deus como meu Pai. Jesus nos ofereceu o Seu Pai para que fosse nosso, como disse em Sua oração mais famosa, “Pai nosso.” O Pai era Dele, mas ele decidiu compartilhá-Lo e nos incluiu na família. Deus não é apenas Senhor, é Pai de todos os que O veem assim. Contudo, muitas pessoas, incluindo cristãos, não conseguem ver Deus como Pai, talvez porque tiveram referências ruins de pais biológicos, alguns ausentes, irresponsáveis e violentos. Assim, veem Deus como um tipo de “Zeus” que vive distante no Olimpo, sem um relacionamento paternal e pessoal. Deus é um bom Pai, fiel e amoroso com Seus filhos. Este é o convite Dele: “Contudo, aos que o receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus” – João 1:12

O segredo da superação de Simba pode ser o seu. Não permita que fantasmas do passado determinem seu presente ou que influências negativas de outros definam sua identidade, pois você é o que a Bíblia diz que você é, um filho amado de Deus. A escassez da orfandade só irá enfraquecê-lo e levá-lo a posturas de rebeldia. Escolha ser filho de Deus e desfrute da paternidade do bom Pai do Céu, que o ama e não deseja que sua vida fique travada devido a uma alma tóxica e contaminada pela orfandade espiritual..

Decida crescer e se desenvolver

Todo ser vivo que não cresce está com algum problema de saúde. O natural é o desenvolvimento e, com o crescimento, mudanças de fases. A vida atravessa ciclos do nascer, crescer, amadurecer, reproduzir, envelhecer e morrer, e cada fase é especial. A vida é feita de estações. Na vida humana, por exemplo, a fase infantil e adulta são bem distintas em muitos sentidos, cada uma com sua peculiaridade. Quando éramos crianças, nossos pais e adultos responsáveis faziam muitas escolhas por nós. Quando crescemos, contudo, passamos a ser responsáveis por nossas decisões. No entanto, talvez você conheça alguns adultos que insistem em continuar vivendo como adolescentes, sem encarar o peso de suas responsabilidades. Algo está errado neste cenário.

Há pessoas que saem da faculdade, mas a faculdade não sai delas. Não entendem que o ambiente profissional é bem diferente do estudantil e insistem em tentar viver no mercado de trabalho com 30 anos de idade a experiência que tiveram aos 20 como universitários. Quem decide não crescer, eventualmente fará escolhas erradas no âmbito relacional, afetivo e profissional.

Cada fase tem seus dilemas, problemas e belezas, assim, desfrute do melhor dela e se relacione com pessoas que agregarão algo a você neste tempo. Saiba viver com sabedoria cada estação; se você não tem, peça a Deus, como o Rei Davi fez. Assim, você viverá e terminará bem os dias na terra, em todos os ciclos da vida, concluindo sua jornada de forma positiva e morrendo em boa velhice.

A sociedade pós-moderna com seus gritos de “orfandade espiritual” e independência precoce tem levado muitos a perder partes boas da sua estação de vida. Há muita gente confusa e perturbada emocionalmente, que entra em brigas que não são deles. Aproveite as oportunidades desta vida maravilhosa que o Criador nos deu, com coisas fantásticas para descobrir e desfrutar, seguindo o conselho de Paulo: “Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como insensatos, mas como sábios, aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus” (Efésios 5:15,16). Você está vivendo como sábio ou tolo? Em muitos casos é melhor ficar quieto e pessoas pensarem que você não sabe de nada, do que sair falando demais e as pessoas terem certeza disso!

A sua vida é um presente lindo, porém frágil e passageiro. É como a neblina que logo vai embora, como dizem as Escrituras. O mestre Albert Einstein disse: “Sua vida é única e Deus não joga dados”. Pense bem e decida crescer para frutificar, de forma que o seu melhor esteja por vir. O que hoje está ruim pode melhorar, porém, se você não decidir crescer, o que está ruim hoje, pode piorar amanhã. Como você está vivendo sua única vida?.