A tragédia de Notre-Dame e a vitalidade da fé cristã

Nesta segunda-feira da Semana Santa, todo o mundo ficou chocado com a notícia do trágico incêndio na Catedral de Notre-Dame em Paris. Essa não foi somente uma perda para os católicos franceses, para todo o Cristianismo, para a História e memória da humanidade. Mais que um belo templo cristão, era um símbolo de paz e unidade. A tragédia, contudo, traz uma metáfora para nós. Estamos na Semana Santa, maior data da fé cristã, quando refletimos sobre a morte e ressurreição de nosso Salvador e Senhor Jesus Cristo, que por seu sacrifício vicário na cruz, fez-se pecado por nós pecadores, trazendo-nos redenção. A morte não foi o fim, mas o início. Porque Ele ressuscitou e o túmulo está vazio, o Cristianismo tem em sua essência o renovo, a esperança e a resiliência, a vida a despeito da morte.

A Notre-Dame de mais 800 anos de legado não sucumbirá nas cinzas, mas será renovada. A causa tem movido à Unesco, o governo francês, milionários, turistas e o povo francês em geral. Ela florescerá, ainda mais forte e segura, inspirando milhões por muitos séculos, até a volta do Senhor Jesus, quando, aí sim, todos os templos católicos, ortodoxos, protestantes, novos ou antigos, perderão sua utilidade e chegarão ao fim. Até lá, a despeito de tudo, os templos resistirão ou serão reconstruídos.

Ao longo da história, o cristianismo tem sofrido perseguições e tragédias. Sob a espada romana, ele surgiu em Israel e se espalhou pelo mundo, não sem o rastro de sangue de mártires da fé, missionários e cristãos católicos e evangélicos, que deram a vida pelas Boas Novas de Cristo ao mundo. Ainda hoje, cristãos são perseguidos e mortos por sua fé, em especial na África, Oriente Médio e Ásia. Mas, como Jesus venceu, cada cristão também segue vencendo. Se templos e corpos mortais são destruídos, tornam-se adubos para que novos sejam levantados para pregar a fé, a esperança e o amor.

Embora, segundo avaliações iniciais, o incêndio no telhado da Notre-Dame tenha sido acidental, inúmeros outros não foram. Grandes e belas igrejas católicas têm sido incendiadas em toda a Europa nos últimos meses por intolerantes. Eles atacam não apenas um templo, mas uma visão e uma cultura sobre as quais as edificações foram construídas, ao longo de séculos de liberdade, igualdade e fraternidade, mas também de fé, esperança, amor e justiça. Valores que são herança do cristianismo, base para todas as nações ocidentais, e que estão sob ataque. No entanto, como outras “Notre Dames” do passado, eles não sucumbirão, mas renascerão em sua mensagem de esperança.

Feliz Domingo de Páscoa! Ele vive e reina dentro de cada um de nós, mesmo que igrejas e catedrais sejam destruídas, como Cristo, em um domingo de manhã, há a notícia do reviver. A fé sempre renasce, a luz sempre prevalece diante das trevas. Com Jesus, o bem sempre vence o mal, não pelas armas, mas pela força da fé e do amor!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *