Feliz novas atitudes

Todos precisamos de um novo ano! E ele já está chegando para todos nós. Você está pronto para receber e viver bem esta oportunidade? Quantas pessoas gostariam de estar vivas para desfrutar cada minuto desta nova oportunidade? Pessoas bilionárias que faleceram neste ano passado, pagariam bilhões para ter um ano de vida na terra, mesmo que fossem para ser pobres. E sabe por que? A vida é uma benção do Céu!

Você só viverá um ano novo, não cometendo os erros do passado, mas vivendo com novas atitudes, boas decisões e escolhas de vida. Um bom ano se constrói não com previsões sobre o futuro, mas com sábias decisões de cada dia do presente. Não podemos prever o futuro! E Deus seja louvado por isto, seria um caos, todos sabendo o que iria acontecer antes. O erro de 2018 não pode nos acomodar em 2019. Neste novo ano preciso estar bem com Deus, comigo mesmo e com o meu próximo. Cuide de duas questões vitais: suas emoções e seus relacionamentos. Viva em paz interior e bem resolvido consigo mesmo. Você e seus relacionamentos precisam de boa saúde! Na vida, relacionamentos são chaves para todos, ou você será fortalecido e empoderado, ou será empobrecido e enfraquecido. Escolha andar perto de pessoas que o fazem ser maiores a cada dia!

Se alguma pessoa o prejudicou no passado, não guarde mágoa, porque guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que os outros morram. Seja agradecido pela experiência e, a partir de agora, viva seu momento e construa para o futuro. A melhor definição de amor é tempo, e o melhor tempo é agora!

Viver um novo ano pode parecer coisa muito simples, mas não é para todos. Não pense que você terá um ano novo com atitudes mesquinhas, egoístas, negativas, pessimistas, julgadoras e egocêntricas. Decida eliminar o que foi negativo e inicie seu novo ano de forma positiva. Quando você receber uma nova tarefa ou se deparar diante de uma nova oportunidade, saia da mentalidade de escassez, não culpe os outros e assuma suas responsabilidades. Seja grato e faça o seu melhor.

Para que você faça um bom investimento desta dádiva que você recebeu, cuide muito bem de suas atitudes e decisões. Como escreveu o rei Salomão no seu lindo livro de Provérbios: “Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida. Afaste da sua boca as palavras perversas; fique longe dos seus lábios a maldade. Olhe sempre para a frente, mantenha o olhar fixo no que está adiante de você. Veja bem por onde anda, e os seus passos serão seguros. Não se desvie nem para a direita nem para a esquerda; afaste os seus pés da maldade” (4: 23-27).

Perdoe os que lhe feriram no ano passado, porque se você não voar mais alto e perdoar, quem acaba morrendo antes de falecer é você! Valorize seu momento, sirva com alegria as pessoas da sua vida, livre-se de más companhias, se inspire em pessoas que pensam e vivem para grandeza. Nos seus negócios, tenha visão de águia e em seus relacionamentos, tenha coração de ovelha. Viva para além de si mesmo e fuja de pessoas negativas, tóxicas, pessimistas e vingativas!

Feliz Ano Novo com novas atitudes!.

Jesus no pé de goiaba

Esta semana, acompanhei como muitos brasileiros a composição final da equipe ministerial do novo governo de Jair Bolsonaro, presidente eleito do Brasil. Ele indicou 22 nomes, já temos um grande feito, considerando os 39 ministros do governo da Presidente Dilma Roussef e 29 do governo de Michel Temer, sem falar que pela primeira vez, acompanhamos cada indicação com expectativa e para o bem do Brasil, os ministérios foram compostos em sua grande maioria por nomes de técnicos de alta performance.

O fato que desejo destacar, vem fruto da indicação do último nome na equipe do presidente, a nova ministra para a pasta dos direitos humanos, Damares Alves. Você conhece esta mulher? Que foi atacada nas redes sociais, ridicularizada em sua fé, devido a um episódio de sua vida, quando ela tinha apenas 10 anos de idade, e iria tentar o suicídio fruto da pressão emocional, pelos abusos sexuais sofridos na sua infância por anos.

Eu não a conheço pessoalmente, nunca fui a uma palestra dela e ela nunca palestrou na igreja onde sirvo como pastor. Mas, eu procurei conhecer sua história, e descobri que Damares não foi apenas assessora parlamentar por muitos anos. Nos últimos 20 anos, não houve nenhum parlamentar engajado em algum nível com questões de família, defesa da vida e da infância que não tenha consultado a opinião de Damares Alves sobre algum projeto de lei no Congresso Nacional.

Ela tem 54 anos, cresceu no Sergipe, mas morou em várias cidades do Nordeste na juventude; de origem humilde, ela é filha de um pastor e de uma dona de casa. Quando criança, aos 6 anos de idade, foi abusada sexualmente. A violência foi tão brutal que a tornou incapaz de gerar uma criança em seu útero. Atualmente, sua filha tem 19 anos e, assim como a mãe, se dedica às minorias, sobretudo às causas indígenas.

No final da década de 80, no Sergipe, Damares fundou o comitê estadual do Movimento Nacional Meninas e Meninos, cuja principal função era a proteção de crianças moradoras de rua. Nesse período, por diversas vezes, transformou seu próprio apartamento em lar temporário para essas crianças.

Damares foi uma das fundadoras do Movimento Brasil Sem Aborto, a entidade organizada mais influente na defesa dos nascituros no Brasil. É palestrante reconhecida nacionalmente pelo combate à pedofilia. É coordenadora do Movimento Nacional Brasil Sem Drogas. Advoga voluntariamente, há 30 anos, para mulheres em situação de vulnerabilidade social e violência doméstica. É coordenadora do Instituto Flores de Aço, com sede em Brasília, que milita em defesa dos direitos da mulher.

Será que agora todos os que tem uma visão espiritual, precisarão sofrer bullying pela sua fé? Se eu não tenho fé, não deveria me preocupar com a visão espiritual de quem crê, não é mesmo? Eu acredito que Jesus aparece quando quer e como quer, e se comunica na linguagem da pessoa a quem se dirige. Lamento os que zombam da fé alheia e comemoro os milhões que sabem que Jesus está vivo, e aparece tantas vezes. Tenho estado regularmente no Oriente Médio e na Ásia, e já ouvi muitos relatos de pessoas que conversaram com Jesus por visão.

A narrativa de Damares, que tanto está sendo criticada, não é nem de longe a mais estranha. A Bíblia está lotada de histórias sobrenaturais. Estado laico é aquele que respeita todas as manifestações religiosas, vale lembrar. E como disse o filósofo Francês Voltaire: “Não concordo com uma só palavras do que dizes, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-la” Mais respeito e amor, por favor!.

Que venha o Natal de Jesus

Chegamos ao mês de dezembro, época de celebrar o Natal, o nascimento do nosso Salvador, como assim relembra a antiga canção de John Lennon,”Chegou o Natal, a festa cristã, do velho e do novo!” O Natal é a celebração da vida, o dia em que Deus nasceu no mundo em forma de uma criança, trazendo paz, luz, amor, esperança, uma nova aliança e uma nova vida para humanidade. Jesus de Nazaré, nasceu em Belém como uma criança humilde e marginalizada e encontrou todos e todas neste mundo, oferecendo-lhes a presença de Deus e a reconciliação com Ele!

Sobre o nascimento de Jesus, sabemos muito pouco. Ele nasceu antes da morte de Herodes Magno (Mt 2.1; Lc 1.5), que faleceu na primavera de 750 da era romana, ou seja, no ano 4 antes de Cristo. Conforme estudos, o ano mais provável do nascimento de Jesus é 7 ou 6 antes da era cristã. Não foi na época do inverno (Lc 2:8), porque segundo a referência, o rebanho de ovelhas dormia ao relento, o que não ocorre no inverno do norte.

Somente a partir do ano 350 o Natal começou a ser comemorado no dia 25 de dezembro. Em torno da escolha desta data, há uma longa história. A comemoração do Natal de Jesus surgiu de um decreto. O Papa Júlio 1º decretou em 350 que o nascimento de Cristo deveria ser comemorado no dia 25 de dezembro. O calendário que adotamos hoje é uma forma recente de contar o tempo. Foi o Papa Gregório 13 que decretou o seu uso através da Bula Papal “Inter Gravissimus” assinada em 24 de fevereiro de 1582. A proposta foi formulada por Aloysius Lilius, um físico napolitano e aprovada no Concílio de Trento (1545/1563). Nesta ocasião foi corrigido um erro na contagem do tempo, desaparecendo 11 dias do calendário.

O fato interessante desta correção é que o Solstício do Inverno foi deslocado para outra data. Dependendo do ano, o início do inverno se dá entre o dia 21 e o dia 23 de dezembro. Assim, mesmo a razão fundamental para a comemoração do nascimento de Jesus no dia 25 de dezembro tenha se perdido com essa mudança no calendário, o Natal continuou a ser comemorado no dia 25 de dezembro.

Para nós, do Hemisfério Sul, há menos razões ainda para se comemorar o Natal no dia 25. Nesta data vivemos os primeiros dias do verão e não do inverno. Porém, herdamos as tradições cristãs que vieram do Hemisfério Norte e, seja você um cristão ou não, cada vez que você escreve uma data, está fazendo uma referência direta ao nascimento de Jesus Cristo!

O mais importante de tudo é o fato de que vale celebrar este ato de amor maravilhoso de Deus: Ele veio ao mundo e inaugurou uma nova vida entre nós. Vamos celebrar o nascimento do Rei dos reis, Jesus Cristo, o Filho de Deus, e não vamos nos entristecer talvez porque o dinheiro anda curto e o orçamento não vai dar para comprar todos os presentes. Afinal, o aniversariante só quer nosso amor. Que venha o Natal e tenha um lindo e iluminado dezembro!.

A polêmica da série Super Drags

Talvez você já tenha ouvido sobre a produção da Netflix que entrou em cartaz na semana passada no Brasil, com a qual um grupo de brasileiros, inclusive muitos cristãos evangélicos e católicos, sentiu-se bastante incomodado. A série “Super Drags”, mesmo sendo uma animação, destina-se ao público adulto e tem classificação indicativa para maiores de 16 anos. A produção vem recebendo muitas criticas e protestos de civis, entidades e parlamentares.

Uma das críticas mais acertadas, para mim, veio da Sociedade Brasileira de Pediatria, que aponta que a série vem a “utilizar uma linguagem eminentemente infantil para discutir tópicos próprios do mundo adulto”, já que a temática de super-heróis é de fácil identificação com crianças. A entidade pediu o cancelamento da exibição, sem êxito. Até aí, tudo normal. Num país livre, todos têm o direito de expressão.

Particularmente, não assisti a série e não tenho interesse fazê-lo, mas acompanhei a polêmica em torno da estreia e fui muito questionado sobre a minha opinião, sendo até instigado a levantar um boicote à empresa. A todos expliquei porque não abraçaria esta causa em protesto público. Sigo a seguinte linha de pensamento: será que na TV aberta muitas produções (incluindo novelas em horários vespertinos) não são ainda mais nocivas às nossas crianças? Será que na própria Netflix este é o único conteúdo nocivo? Penso que nós, pais, precisamos conversar mais com nossos filhos e, dentro de cada lar, criar nossas próprias regras de valores e seguranças para cinema, TV aberta, por assinatura e por streaming. Produções nocivas sempre serão produzidas por muitos meios. Infelizmente, há muito sendo produzido em nome da cultura e do entretenimento que está carregado de mensagens tóxicas.

Por outro lado, há muitos cristãos evangélicos brigando por tudo, esperando o comportamento de um cristão convertido de pessoais ateístas ou até militantes contra a fé cristã. Não podemos atacar todos que pensam diferente, pois podemos cair num ativismo perigoso, inclusive para a comunicação da mensagem do evangelho de Cristo, que é, antes de tudo, um convite para um relacionamento pessoal de amor entre Deus e o homem. Acredito que alguns cristãos estão se esquecendo de que nem todo mundo é cristão e que nem todos têm os mesmos princípios e valores com relação a entretenimento e sexualidade.

No caso da Netflix, ele é um serviço de fácil controle para os pais, que podem criar senhas exclusivas para que seus filhos tenham um ambiente seguro de entretenimento. Não adianta protestar contra o canal pago e deixar a TV aberta de babá para seus filhos ou expô-los a jogos violentos e sites pornográficos em seus celulares. Sobre isso, Jesus também falou: “Vocês coam um mosquito e engolem um camelo” (Mateus 23:24). Em sua defesa, a Netflix reafirmou que o seriado não é destinado a crianças e não estaria disponível no catálogo infantil, acrescentando que os responsáveis podem controlar o que os filhos assistem pelas configurações no próprio aplicativo. Pense nisto e vamos viver com mais sabedoria e menos polêmica!.

Pantera Negra e a dor de todos nós

Meus filhos e eu gostamos muito dos filmes da Marvel. A produção, os enredos e a ação fazem deles um bom entretenimento em dias tão estressantes. Além disso, histórias de ficção podem revelar um pouco de cada um de nós. Semana passada fomos ver o mais novo sucesso da marca, Pantera Negra. O filme foi um exemplo de uma produção de grande orçamento dirigida e roteirizada por negros e estrelada por um elenco majoritariamente afrodescendente. Além disso, a forma respeitosa e exuberante como o mundo de Wakanda é retratado, o fez entre os mais elogiados entre os 18 lançamentos do universo cinematográfico Marvel.

Além de todos os efeitos especiais, os clássicos da Marvel, chamam a atenção o fato em comum entre os personagens, geralmente eles tinham dores do passado que, por estarem mal resolvidas, voltam com força ao presente. Somos muito diferentes dos super-heróis em seus poderes, mas muito próximos a eles em suas dores humanas. Sentimentos negativos, perdas, injustiças, abusos e dores do passado, quando não tratados e resolvidos, poderão travar sua vida no presente. Como disse Rick Warren, autor do best seller mundial, “Uma Vida com Propósitos”: “guardar mágoa e ressentimento em seu coração, é o mesmo que tomar veneno e esperar que os outros morram”. Voltando ao Pantera Negra, o filme gira em torno de uma dor mal resolvida do vilão da saga, Erik Killmonger (Michael B. Jordan). Este chorou sobre o cadáver de seu pai, N’Jobu (Sterling K. Brown), um espião de Wakanda enviado aos EUA no começo dos anos 1990 e que se revoltou com a forma como os negros são tratados ao redor do mundo. Quando o rei T’Chaka (John Kani) descobre que N’Jobu pretendia usar o vibranium, metal precioso que só existe em Wakanda, como uma arma de libertação para povos oprimidos em todo o mundo, os dois divergem e T’Chaka acaba matando o próprio irmão. Órfão de pai, Killmonger se radicaliza e canaliza a raiva para tentar completar os planos de N’Jobu. Cabe aqui uma importante reflexão. Temos visto muita raiva, ódio e violência expostos na sociedade que tem diretamente a ver com esta questão: uma orfandade não resolvida. O mundo utópico e imaginário do Reino de Wakanda pode nos trazer uma realidade do nosso mundo real: somos humanos e precisamos tratar bem das nossas emoções. Do contrário, teremos efeitos colaterais graves para nossas vidas e para as pessoas que amamos. Somos seres especiais, dotados de uma capacidade ímpar na natureza, dada pelo Eterno Criador: temos a capacidade de escolha.

Busque ajuda! Cure suas feriadas do passado e viva emocionalmente saudável! Faça escolhas em paz e siga rumo ao destino que Deus preparou para você. Ele tem planos de paz e de grande futuro, como está escrito no livro do profeta Jeremias, 29:11. Você não é sua dor, ela não determina seu futuro, suas atitudes sim! Decida ser filho de Deus, porque Jesus o convida a crer que o Pai é nosso!.

 

‘Que tiro foi esse?’

Particularmente, não sou chegado ao ritmo musical funk. Talvez seja pela minha idade: sou dos anos 70 e gosto mais de samba canção, bossa nova, das mais antigas da MPB e dos “good times” da música pop americana. Mas isso é o de menos. Mas, preciso admitir que os últimos acontecimentos no Brasil nos levam a pensar imediatamente no tema do funk de Jojô Maronttinni ou Jojô Toddynho, Que Tiro Foi Esse? O fato é que esta pergunta cabe bem ao nosso espanto em relação ao difícil momento dos brasileiros. Escândalos de corrupção, alta nos preços, juros altos, surpresas de mau gosto nas falas e ações da mais alta corte do judiciário brasileiro. Como se não bastasse, lá vem a enxurrada de notícias de violência ligadas ao narcotráfico nas grandes capitais brasileiras. Que “tiros” são esses que os brasileiros estão levando a cada novo dia? É surreal!

Como terminaremos este ano de 2018? Já estamos fechando o segundo mês do novo ano, e as notícias difíceis continuam a nos assolar. É um tiroteio só. Ainda estamos nos recuperando do “tiro” do governo federal quanto à nomeação do novo diretor da Polícia Federal, aliado de José Sarney, Fernando Segovia e suas declarações que estarreceram a corporação da PF e a nação. Sua atuação parece ter colocado no freezer nossa esperança na operação “Lava a Jato” da PF. A boa notícia é que a intervenção Federal do Rio de Janeiro, se não servir para outra coisa, colocou a Reforma da Previdência em espera. Ela realmente precisa ser feita, porém, não creio que possa ser guiada pela atual gestão federal, que é um governo que está se agarrando pelos fios para não cair, defendendo-se de denúncias e processos de corrupção. Por falar em governo, precisamos lembrar que este ano iremos as urnas para votar para assembleia legislativa, câmara federal, Senado e sobretudo para escolher o novo presidente!

Sem dúvida, 2018 é um grande ano para os brasileiros. Não começamos muito bem, ainda sob fogo cruzado de más notícias. No entanto, podemos terminar o ano um pouco melhor. Para isso, precisaremos escolher bem, elegendo alguns melhores dentre os não tão melhores. Hoje o sistema político não inspira os melhores nomes do pais a que se candidatem. Realmente, são pouquíssimos. Para presidente, a julgar pelos nomes que se apresentam, só podemos dizer que está um terror! Sou um homem de fé e, por isso, já estou orando e pedindo a Deus, não por uma intervenção federal ou militar, mas por uma intervenção do céu na terra, para fazer milagres e nos livrar de homens maus. Enfim, brasileiros, gostando ou não de funk, resta-nos ouvir e perguntar: “Que tiro foi esse? Que tiros são esses?” Senhor, livrai-nos do mal, porque teu é o poder!.

 

Oportunidades de recomeçar

Já começamos o nosso novo ano! Como estão as coisas em sua vida? Acredite, surgirão novas oportunidades para decidir melhor e corretamente. Um ano só é novo se não apenas o deixamos passar no calendário, você vai construir seu novo ano! E construímos quando o fazemos ser novo em cada momento de nossas vidas. Não podemos esperar resultados diferentes, se continuarmos a fazer sempre as mesmas coisas.

O que precisa mudar? Essa é a primeira pergunta que você deve fazer.

A mudança começa com aquilo que você deixa para trás, começando com aquilo que você não mais permitirá que o acompanhe. Alguns terão que deixar atitudes velhas e mesquinhas para trás, terão de rever erros, maus hábitos, mágoas, ressentimentos, atitudes negativas, vícios e pecados. O que você precisa abandonar? Talvez alguns relacionamentos e amizades precisem ser encerrados. Afinal, há amizades que nos elevam, e amizades que nos afundam.

Este será um passo importante, mas também há outro necessário: o que de propositivo você fará com as oportunidades de vida que há diante de você? O que virá de novo?

É tempo de construir novas amizades, de descobrir novos sonhos e projetos, de iniciar novos estudos, de renovar a sua fé. Veja cada novo dia, não como apenas um algo a mais no seu calendário, mas como uma oportunidade única de transformar realidades à sua volta, a começar por decisões simples e pequenas.

Suas novas decisões podem ser melhores, mas isso não significa que não serão arriscadas.

A vida é uma prova de fé. Ela é muito grande, para ser vivida de forma pequena! Por isso, tenha fundamentos claros e bons, caminhe na verdade que Deus tem para você, e prossiga de forma responsável, mas empreendedora, sonhadora e positiva.

O apóstolo Paulo, que viveu cada dia intensamente, deixando um legado enorme para toda a humanidade, ensinou: “Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como insensatos, mas como sábios, aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus.” (Efésios/ 5:15-16).

Enfim, viva intensamente seu novo ano, a partir do seu primeiro mês, não seja passivo, ou apenas reativos, seja ativo e empreendedor com relação a sua vida, ela é única, levante-se, agarre as oportunidades e faça acontecer com fé em Deus, suor e muito trabalho, o melhor ano da sua vida! Você não é vítima, é protagonista no enredo de sua maravilhosa vida!.

 

Como está o seu Carnaval?

Estamos no meio do maior período de feriado do ano, bastante esperado por muitos brasileiros. Embora seja originalmente uma festa religiosa e estrangeira, o carnaval perdeu ambas as características com os anos, e em muito se deteriorou em função do hedonismo humano. Sua força no Brasil veio com os feriados prolongados e incentivos públicos, tornando-se um grande negócio. Atualmente, para muitos cristãos, em especial evangélicos, a folia é associada diretamente à promiscuidade. Contudo, devido à violência urbana, questões de saúde pública e à crise financeira de famílias e governos, o carnaval popular vem perdendo fôlego, em especial em relação aos desfiles. Por outro lado, houve um certo ressurgimento de marchinhas de ruas.

Além de ótimo pretexto para prolongar o começo oficial do ano, o carnaval é mais que uma festa à fantasia. Se você é cristão, sabe que o carnaval é ótimo para falar do amor de Jesus para as pessoas que estão pulando por fora e morrendo por dentro, com seus problemas pessoais, familiares e relacionais. Também, essa é a melhor época para retiros, acampamentos ou para aquela merecida folguinha.

No entanto, se você vai “pular ou brincar” o carnaval, cuidado com os efeitos colaterais, pois podem ser muito danosos à sua vida. O consumo de álcool e de drogas ilícitas têm aumento significativo nesta época (assim como os acidentes e confusões) e o sexo é uma prática quase explícita, contribuindo para o aumento de DST’s e abortos, em decorrência de gravidez indesejada.

Nas muitas questões que envolvem o carnaval, há muito mais do que o que é aparentemente “certo ou errado”. Não estou aqui para demonizar nada social ou cultural. Talvez a melhor pergunta seria: é sábio ou não se atirar nestas práticas e se esquecer das consequências? Precisamos tratar as coisas de forma clara. Jesus mesmo, ao ensinar sobre o adultério no Sermão do Monte, demonstrou que de nada adianta sermos aparentemente “certinhos” se nossas mentes estão cheias de maus pensamentos e nossos corações cheios de intenções erradas. Podemos pensar sobre o carnaval da mesma maneira. Afinal, de nada adianta trocarmos a indecência e a imoralidade dessa festa por músicas ou séries tão imorais quanto. Veja o que é ensinado em 1 Coríntios 10:31: “Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus.”

Não comprometa toda uma vida de felicidade por algumas horas de um falso prazer. Que Deus abençoe nossa nação e que venha a Páscoa do Senhor Jesus Cristo, que morreu para perdoar nossos pecados e fazer de cada arrependido, um filho! Pense nisto e viva para Ele..

 

Transformando a cultura da desonestidade

No último dia 24, o Brasil assistiu, muitos festejando e outros se lamentando, o julgamento da sentença do ex-presidente Lula, pelo TRF4 de Porto Alegre, decisão que ratificou a sentença do Juiz Sergio Moro de Curitiba, e ampliou a pena, com um placar de 3×0. Este dia, é claro, entra para história, por ser o caso de um ex-presidente, pelas passionalidades envolvidas no processo, pela polaridade política que vive o Brasil, entre direita e esquerda.

Sabemos que a situação não vai parar por aí, porque ainda existe a questão da candidatura, agora condenado em 1ª e 2ª instâncias, e os outros 4 processos que enfrentará, ainda podendo aparecer outros. O Brasil começou a mudar, não podemos ser ingênuos de que esta mudança cultural será rápida, mas também não podemos ser pessimistas de que nunca mudará.

Precisamos aproveitar esta situação de reportagens nas mídias e discussões nos meios comunitários, acadêmicos, empresariais e familiares, para conversarmos mais sobre a questão da corrupção e da desonestidade da sociedade em geral. Precisamos de uma nova mentalidade, faz-se necessário uma mudança profunda na mente da sociedade.

No ranking de Percepção da Corrupção, em 2016, o Brasil ocupou a 79ª posição, entre 176 países. Já na lista do grau de propinas pagas, o país ficou no 14º lugar, em 28 países analisados. O empresário não pode mais aceitar pagar propina para pegar uma obra ou serviço, seja privada ou pública. Nós eleitores, não podemos mais votar nos políticos antigos, que está claro que enriqueceram com recursos ilícitos da vida pública, nunca teremos mais com os mesmos.

O Promotor de Justiça de MG, Jairo da Cruz Moreira, aponta os dez atos de corrupção mais presentes no dia-a-dia do cidadão comum: 1) Não dar nota fiscal; 2) Não declarar imposto de renda; 3) Tentar subornar o guarda para evitar multas; 4) Falsificar carteirinha de estudante; 5) Dar/aceitar troco errado; 6) Roubar assinatura de tv a cabo; 7) Furar fila; 8) Comprar produtos falsificados; 9) No trabalho, bater ponto pelo colega e 10) Falsificar assinaturas.

O fato é, “aceitar essas pequenas corrupções legitima aceitar grandes corrupções”, afirma o promotor. “Seguindo esse raciocínio, seria algo como um menino que hoje não vê problema em colar na prova, ser mais propenso a, mais para frente, subornar um guarda sem achar que é corrupção.”

A corrupção não é apenas moralmente errada. Ela mina o desenvolvimento econômico, distorce a lisura na tomada de decisões, destrói a coesão social e explora o pobre. A corrupção mata! A corrupção é desonra a Deus e, por isso, é a antítese do amor ao próximo. E você, tem feito a sua parte?

 

Feliz ano novo de oportunidades!

Todos precisamos de um novo ano! E recebemos do Eterno Criador este presente. Você está pronto para esta oportunidade? Tenho certeza de que pessoas ricas que faleceram neste ano pagariam bilhões para terem mais um ano de vida, mesmo que fossem pobres. A vida é uma benção do céu na terra! Mas, você só aproveitará esta oportunidade com novas atitudes e boas escolhas. Um novo ano não se constrói com previsões do futuro, mas com sábias decisões no presente.

Neste novo ano, esteja bem com Deus, consigo mesmo e com o próximo. Tenha atitudes saudáveis e amizades confiáveis. Cuide, em especial, de duas questões vitais: suas emoções e seus relacionamentos. Viva com paz interior, bem resolvido consigo mesmo e com saúde em seus relacionamentos. Eles são chaves para todos nós. Neles, ou você será fortalecido e empoderado, ou será empobrecido e enfraquecido. Escolha andar perto de pessoas que te fazem ser maiores a cada dia. O velho ano de 2017 já faz parte do passado, bem ou mal, ele já acabou. Se alguma pessoa o prejudicou, não guarde mágoa, pois isso é como tomar veneno e esperar que os outros morram. É fundamental perdoar os que lhe feriram. Se você não voar mais alto e perdoar, quem acaba morrendo, antes de falecer, é você. Seja agradecido pela experiência vivida e, a partir de agora, construa para o futuro. A melhor definição de amor é tempo, e o melhor tempo é o agora.

Na vida tudo é uma questão de atitude. Decida eliminar o que foi negativo e inicie o novo ciclo de forma positiva. Olhe e viva verdadeiramente para frente. Se receber uma nova tarefa, saia da mentalidade de escassez. Não culpe os outros, mas assuma suas responsabilidades. Seja grato pelo seu momento e faça o seu melhor. Revolucione a partir da sua realidade e dos seus valores.

Como escreveu o rei Salomão: “Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida. Afaste da sua boca as palavras perversas; fique longe dos seus lábios a maldade. Olhe sempre para a frente, mantenha o olhar fixo no que está diante de você. Veja bem por onde anda, e os seus passos serão seguros. Não se desvie nem para a direita nem para a esquerda; afaste os seus pés da maldade.” (Bíblia – Provérbios 4:23-27). Valorize seu momento, sirva com alegria as pessoas da sua vida, mantenha o coração grato, livre-se de más companhias, inspire-se em pessoas que pensam e vivem para a grandeza. Em seus negócios, tenha visão de águia e em seus relacionamentos, tenha coração de ovelha. Viva para além de si mesmo. Feliz Ano Novo, com novas atitudes!.